http-equiv=’refresh’ content=’0; Boulevard of Ideas: Agosto 2014

sexta-feira, 29 de agosto de 2014

O mundo dos deselegantes

Olá,

mês de agosto praticamente acabando e eu nem havia dado as caras aqui ainda. Na verdade, eu nem sei bem sobre o que vou escrever, mas como isso se tornou a minha terapia (já que não posso sair mandando algumas pessoas p/ aquele lugar onde não bate sol), vamos ao "desabafo".



Ter um site de sucesso (não, certamente não me refiro a este blog) é incrível pelo reconhecimento e credibilidade adquirido junto ao público, porém, nem tudo são flores. Há sempre os grossos, intolerantes e que, principalmente, cobram algo que não é da sua competência.

Entenda: jornalista não RESOLVE nada. A gente mostra a denúncia, cobra a resposta de uma autoridade e tenta dar um retorno àqueles que entram em contato. E nem tudo que você julga relevante, de fato, o é. Logo, temos que aprender a filtrar para não sair publicando qualquer bobagem.

Acredite: nós temos uma vida. Nós não ficamos 24h à disposição e por mais que fiquemos ligados, há algumas coisas que não vemos na hora, pois com um grande volume, é impraticável resolver e ver tudo na hora. Isso não é incompetência, nós só não somos robôs.

Coincidentemente, há pouco li uma coluna do Diogo Mainardi e fiquei impressionada com o ódio gratuito nos comentários. (Se quiser, veja aqui) Caramba, p/ que perder tempo só p/ xingar o cara só porque você discorda dele? Como diria Sandra Annenberg: "Que deselegante!"

A internet se tornou um antro de covardes, onde a "coragem" se tornou um pretexto p/ destilar ódio e xingamentos, já que são protegidos por uma tela e um "anonimato".

Mas, meu caro, difamação é a forma mais pobre de expressão.

Parafraseando Abraham Lincoln: "É melhor ficar na sua e deixar que as pessoas pensem que você é um idiota do quer escrever e acabar com a dúvida."