http-equiv=’refresh’ content=’0; Boulevard of Ideas: 2014

sábado, 20 de dezembro de 2014

Vício



- Só mais um e juro que vai ser o último, Catarina.

- Você sempre diz isso e não se consegue se controlar, Julia.

- Mas é novidade, falaram que é ótimo!

- É sempre assim e quando acaba, você fica toda deprimida.

- Você é viciada, e como todo vício, não faz bem a você.

- E qual é o problema? Não tô fazendo mal a ninguém, pelo menos me deixa feliz e eu relaxo por um instante.

- Se o problema é esse, come chocolate.

- Não é a mesma coisa...

- O primeiro passo é admitir.

- Ok, eu admito que sou viciada! Agora me dá isso!

- Não, vou jogar fora!

- NÃÃÃÃÃO! EU PAGUEI POR ISSO! ME DÁ AQUIIII!

- Você tá agindo como uma louca!

- Já é o terceiro e sábado nem chegou ao fim ainda! Você está ficando enclausurada, afastando as pessoas...

- Ótimo então siga o exemplo e cai fora, senão for se juntar a mim...

- Eu consegui largar, não tá sendo fácil...

- Você sabe que você quer...

- Não. Eu sou forte.

Catarina olha Julia com um olhar duvidoso. Julia ri.

- Ahhh que se dane, vamos logo com isso.


Catarina finalmente dá o play e começam a assistir ao mais novo filme de Katherine Heigl. 

terça-feira, 4 de novembro de 2014

Aerofobia



Todo aerofóbico já cansou de ouvir que "avião é o meio de transporte mais seguro do mundo". Dá licença? Tem gente que tem hipopotomonstrosesquipedaliofobia, medo de palavra grande (a pessoa surta só de ter que falar o nome da fobia dela, né?); bromidrofobia, medo de nhaca (imagina essa pessoa num transporte público, no verão, após o expediente, se até a gente "surta"...); caetofobia, medo de pelos e cabelos (nem precisa de filme de terror p/ assustar essa pessoa, basta mostrar o Primo It da Família Adams ou a playboy da Cláudia Ohana p/ pregar uma peça no sujeito); entre tantas outras estranhas, que a aerofobia pelo menos tem uma lógica. 

Por mais remotas que sejam as chances de morrer num desastre aéreo (uma em um milhão), elas existem e isso já é motivo suficiente p/ um aerofóbico tremer na base a cada "tripulação, preparar p/ decolar". Você nunca sabe se será parte desta estatística.

Afinal, você está dentro de uma caixa, há não sei quantos mil pés de altura, dependendo da habilidade de dois estranhos.

E a primeira coisa que falam antes de decolar é sobre os procedimentos de segurança: em caso de emergência máscaras de oxigênio vão cair (p/ te manter lúcido enquanto você morre? No, thanks) e bancos que ejetam e flutuam! DO QUE VAI ME ADIANTAR O BANCO FLUTUAR SE AQUELA P*** CAIR? CADÊ PARAQUEDAS?' (confessa, é isso que você também pensa)

Ocasionalmente, o tédio supera o medo. São longas horas em poltronas que na vertical ou "inclinadas" não se nota diferença, respirando aquele ar seco e o grande evento é quando vem a comida.


Para ter algo diferente para fazer, demoro mais que o habitual analisando aquela refeição triste e econômica, enquanto mordo um pão duro e bebo água para ajudar a engolir. Mas é um barulho diferente que ouço ou o aviso para se sentar e afivelar os cintos por causa de uma área turbulenta que começo a tremer mais que o avião. E este ciclo interminável se repete até o pouso. 


Constato que é verdade: não há ateu que não se converta diante de uma turbulência. Eu rezo p/ Deus, Zeus, orixás, tento acreditar que há uma força superior olhando por mim, porque vai que cola, né? Quando não há nada a perder, não custa tentar... 

Daí eu me lembro das falas de um sábio, e encaro como um mantra: "Face your fear. You have a fear of heights? You go to the top of the building. You're afraid of bugs? Get a bug, right? In this case, you have a fear of commitment. So I say you go in there and be the most committed guy there ever was." - Tribbiani, Joey em um diálogo com Chandler, em Friends. 

E se isso não resolver, pense que há sempre um jeito pior de morrer, como aquele menino que morreu após um bode, que ia ser sacrificado, pular de um prédio e cair na sua cabeça...

(Duvida? Veja aqui.)






sexta-feira, 29 de agosto de 2014

O mundo dos deselegantes

Olá,

mês de agosto praticamente acabando e eu nem havia dado as caras aqui ainda. Na verdade, eu nem sei bem sobre o que vou escrever, mas como isso se tornou a minha terapia (já que não posso sair mandando algumas pessoas p/ aquele lugar onde não bate sol), vamos ao "desabafo".



Ter um site de sucesso (não, certamente não me refiro a este blog) é incrível pelo reconhecimento e credibilidade adquirido junto ao público, porém, nem tudo são flores. Há sempre os grossos, intolerantes e que, principalmente, cobram algo que não é da sua competência.

Entenda: jornalista não RESOLVE nada. A gente mostra a denúncia, cobra a resposta de uma autoridade e tenta dar um retorno àqueles que entram em contato. E nem tudo que você julga relevante, de fato, o é. Logo, temos que aprender a filtrar para não sair publicando qualquer bobagem.

Acredite: nós temos uma vida. Nós não ficamos 24h à disposição e por mais que fiquemos ligados, há algumas coisas que não vemos na hora, pois com um grande volume, é impraticável resolver e ver tudo na hora. Isso não é incompetência, nós só não somos robôs.

Coincidentemente, há pouco li uma coluna do Diogo Mainardi e fiquei impressionada com o ódio gratuito nos comentários. (Se quiser, veja aqui) Caramba, p/ que perder tempo só p/ xingar o cara só porque você discorda dele? Como diria Sandra Annenberg: "Que deselegante!"

A internet se tornou um antro de covardes, onde a "coragem" se tornou um pretexto p/ destilar ódio e xingamentos, já que são protegidos por uma tela e um "anonimato".

Mas, meu caro, difamação é a forma mais pobre de expressão.

Parafraseando Abraham Lincoln: "É melhor ficar na sua e deixar que as pessoas pensem que você é um idiota do quer escrever e acabar com a dúvida."




terça-feira, 8 de julho de 2014

O Minerazo e a vergonha brasileira


Mais doloroso do que um episódio de Game of Thrones em que o Brasil se equivale aos Starks, após o choque e umas lágrimas derramadas, resolvi meter o bedelho e falar escrever também.

Acabei me lembrando de uma aula de Teoria da Comunicação da faculdade sobre identidade cultural, Stuart Hall e tal, em que o professor me perguntou: "Wilbert, quando você se sente brasileira?". Eu ri e falei que nunca, já que detesto praia, Carnaval, futebol e todas as coisas pelas quais somos conhecidos lá fora.

Porém, esse sentimento muda durante a Copa. Provavelmente porque é a única ocasião em que vejo o país verdadeiramente unido. O verde e amarelo ganham as ruas, os brasileiros se emocionam ao cantar o hino a plenos pulmões e vibram a cada gol. Enfim, de quatro em quatro anos nos tornamos ufanistas.

Mas por que só um esporte que nos une?

Talvez seja porque, como todo o resto decepciona, até então, o "melhor futebol do mundo" era a única alegria em comum.

Doeu perder de 7 x 1 em casa, mas o que foi mais triste foi ver o conformismo, a apatia, a falta de garra, de foco e de equilíbrio da seleção. O brasileiro "que não desiste nunca", jogou a toalha muito antes de acabar o primeiro tempo. Como um reflexo da postura do próprio povo brasileiro diante de tantas coisas.

Mas vergonha? Quem dera nosso maior problema fosse apenas a incapacidade de 11 jogadores em enfiar a bola no fundo da rede...

Vergonha eu tive quando vi na TV uns revoltadinhos tacando fogo em ônibus no final do jogo.

Vergonha eu tenho de ocuparmos a 38ª posição entre 40 países num ranking educacional feito pela Economist. E a mesma posição no ranking de 44 países do Programa Internacional de Avaliação de Alunos (Pisa) divulgada pela Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE).

Vergonha eu tenho de estarmos entre os piores do ranking de saneamento do mundo.

Vergonha eu tenho de ver nossos aeroportos e companhias aéreas entre as piores do mundo.

Vergonha eu tenho de ver a incapacidade de muitos em separar política de futebol e torcer contra o seu país porque tá "revoltadinho".

Mas dentre tantas vergonhas, só me resta torcer para que o país não me envergonhe em outubro.



domingo, 29 de junho de 2014

Gatos da Copa 2014

Eu sei que ando relapsa com esse blog, mas é que quando escrevemos diariamente diversos textos, bate uma preguiça e falta de ideia para alimentar mais um site/blog/whatever. Contudo, entretanto, todavia, esse espaço continua sendo o lugar onde posso falar qualquer merda escrever sobre qualquer assunto, por mais bobo que seja simplesmente porque eu quero.

Enfim, vamos falar então de: COPA DO MUNDO! Claro, até porque não poderia deixar de salientar o que tem me chamado atenção neste mundial de futebol, que está acontecendo nesse meu Brasil varonil.

O que teve por enquanto?

- Dilminha, que disse que não vai se abalar pelos xingamentos, ficou com o c* na mão e não fez nem um discurso na abertura horrorosa da Copa. (Não se abala, é? Tô vendo...) Mesmo assim, foi vaiada.

- Já nas partidas, quando Marcelo marcou o primeiro gol da Copa, um gol contra, já senti que essa Copa seria inusitada. E não deu outra, né? A atual campeã do mundo saiu com o rabo entre as pernas (chupa, hermanos!), a COSTA RICA ficou em primeiro lugar no "grupo da morte" (que era formado por Itália, Inglaterra e Uruguai), sendo que Itália e Inglaterra voltaram p/ casa ainda na 1ª fase e o Uruguai, nas oitavas; e a Costa ainda se classificou para as quartas de final, pela primeira vez na história!

- Sobre a eliminação da Inglaterra, o célebre Lula veio com uma de suas pérolas de sabedoria e soltou essa:  "É a primeira vez que uma equipe de futebol perde por excesso de qualidade dos nossos estádios. A Inglaterra não estava acostumada a jogar em um campo da qualidade dos que temos aqui".


- Na terra do beijinho no ombro, o grande destaque foi a mordida de Suárez (do Uruguai) no ombro de Chiellini (Itália). No ombro, amigo? Se fosse na bunda do Hulk, a gente até entendia...

- Teve Brasil se classificando para as quartas por sorte e competência do AMADO ♥ Júlio César ♥ (nos pênaltis) em cima do Chile. Se os próximos jogos forem nesse nível, o Ministério da Saúde vai ter que colocar uma advertência antes e durante as partidas. Haja coração, amigos. HAJA CORAÇÃO!

Enfim, vocês estão acompanhando melhor até do que eu. Então vamos logo ao que levou vocês a clicarem neste link. Vamos aos colírios da Copa:

Vedran Ćorluka - Croácia

Já o Niko Kranjčar infelizmente não veio, mas ele merece muito estar nessa lista. Muito mesmo.


{Despudorados, alguns jogadores croatas ficaram peladinhos no hotel e foram flagrados por um jornal português. Veja aqui. ISSO A GLOBO NÃO MOSTRA!}

Asmir Begovic - goleiro da Bósnia


Xabi Alonso 


Carlos Bocanegra - EUA


Olivier Giroud - França


Robin Van Persie - Holanda


Ciro Immobile - Itália (só p/ preencher a cota de italianos, porque tava fraco esse ano)


Rahman Ahmadi - goleiro do Irã


Mauricio benzadeus Pinilla - Chile


Mas de todas as seleções, a que bateu mesmo um bolão no quesito beleza, foi a Grécia!

♥ Georgios Samaras ♥


Andreas Samaris


Orestis Karnezis - o goleiro magia dessa Copa


De nada!

Até a próxima ;*


domingo, 1 de junho de 2014

Vai ter Copa


O verde e amarelo das vitrines e os comerciais na TV não negam: vai ter Copa! E ela já está aí, jogadores de vários países já estão em nosso país se preparando para o mundial de futebol, que tanto tem causado revolta entre brasileiros.

A indignação não é só no Brasil, uma revista francesa muito conceituada sobre futebol, por exemplo, escreveu um artigo intitulado “Peur sur le Mondial”, em que citava os principais problemas enfrentados pelo Brasil, que não tem estrutura para receber um evento deste porte. Cito abaixo algumas frases presentes no artigo:

- A FIFA não pediu o Brasil para sediar a Copa, foi o Brasil que procurou a FIFA e fez a proposta.

- A corrupção no Brasil é endêmica, do povo ao governo.

- A burocracia é cultural, tudo precisa ser carimbado, gerando milhões para os Cartórios.

- Tudo se desenvolve a base de propinas.

- Todo o alto escalão do governo Lula está preso por corrupção, mas os artistas e grande parte da população acham que eles são honestos, e fazem campanhas para recolher dinheiro para eles.

- Hoje, tudo que acontece de errado no Brasil, a culpa é da FIFA, antes era dos EUA, já foi de Portugal, o brasileiro não tem culpa de nada.

- O Brasileiro dá mais importância ao futebol do que à política.

Adoraria ser capaz de refutar tudo o que falam no artigo, mas, infelizmente, não passam de verdades.

E sim, é fato que diante do caos em áreas primordiais (saúde e educação, principalmente), o Brasil nunca deveria ter se proposto a sediar uma Copa do Mundo. E muito menos ter gastado bilhões em estádios, que ainda nem estão prontos, com dinheiro público.

Contudo, vai ter Copa. E eu confesso, eu estou animada! Mas vestir minha camisa (literalmente, pela primeira vez comprei uma!) não significa que eu concordo com esse gasto exacerbado para a realização do evento. Significa apenas que eu sou brasileira, e como tal, eu torço pelo meu país (em todos os sentidos).

Mesmo achando que vamos passar vergonha pela falta de preparo e estrutura, eu ainda torço para que, no fim, o evento seja um sucesso. Que todos vibrem juntos a cada conquista da seleção e façam uma bela festa, que só os brasileiros sabem fazer.

Que consigamos reaver tudo o que foi gasto com a vinda dos turistas.

Que a gente consiga reunir os amigos para ver os jogos e se distrair um pouco com os gols do Neymar e do Fred.

Mas, sobretudo, que independente do resultado da Copa, toda essa revolta, todo esse ódio que eu vejo disseminado na internet, continue em outubro.

Que vocês direcionem às urnas, toda essa mudança que vocês tanto clamam.

Afinal, “se o que tinha que ser roubado, já foi”, as transformações que o país necessita estão longe de ter começado...




quinta-feira, 8 de maio de 2014

A ira dos rebeldes sem causa


Nesta semana, acompanhamos mais um caso de "justiça com as próprias mãos" devido a um boato espalhado na internet. Quem estava em Marte e não soube do caso, vou resumir rapidamente: a página Guarujá Alerta divulgou um boato em que uma mulher estava sendo apontada como sequestradora de crianças para rituais de magia negra.O administrador da página esclareceu que na foto ele dizia que se tratava de um boato, porém a imagem teve uma repercussão imensa, e o desfecho, foi que Fabiane Maria de Jesus, confundida com a pessoa da foto, foi espancada até a morte na rua.

Como administradora de uma página no facebook, esse caso me chamou ainda mais atenção. Parece uma coisa boba, mas a gente tem um poder imenso e muito perigoso nas mãos. Recentemente, publiquei em minha página, que tem mais de 30 mil curtidores, a imagem de uma criança que havia desaparecido em Penedo. Antes de publicar, pesquisei para saber se era verdade e vi que havia sido noticiado em alguns sites de credibilidade. Como a menina poderia estar em qualquer lugar, quis ajudar de alguma forma e o resultado foi que mais de 160 MIL pessoas compartilharam a foto e esta publicação teve um alcance que ultrapassou a marca de 7 MILHÕES. Felizmente, a menina foi encontrada e segundo a tia dela, os milhares de compartilhamentos no Facebook contribuíram para isso. 

Para dar uma satisfação a todas estas pessoas que viram e compartilharam a foto da menina, anunciamos que ela havia sido encontrada e no próprio post colocamos uma atualização com essa informação. Porém, notamos que as pessoas ainda compartilhavam a foto preocupadas, achando que ela ainda estava desaparecida. E por que? Simplesmente porque não leem. As pessoas só batem o olho na imagem e são incapazes de ler a explicação acima. Por isso, optei por deletar a imagem da menina para que não se causasse um alarde ainda maior com uma situação que já havia sido resolvida. 

Neste caso, o compartilhamento foi positivo, pois mostrou a solidariedade das pessoas e a nossa capacidade de mobilização. Mas o que eu quis mostrar com isso é o poder das redes sociais. Qualquer coisa que você poste pode fugir do seu controle e o resultado pode ser catastrófico e irreversível, como essa mãe de família que foi linchada na rua.

E o que dizer dessas criaturas que mataram essa mulher? São pessoas sem o menor discernimento que simplesmente acreditam em TUDO que leem, não procuram saber dos fatos, e motivadas por uma ira irracional quiseram bancar os "justiceiros". E quem filmou o ato todo e não fez NADA a respeito é tão ruim quanto. É cúmplice de uma atrocidade.


Acredito que as pessoas estão acumulando indignações e raiva a cada notícia revoltante que leem e acabam por direcioná-las ao primeiro que eles julgam "merecedor", ou seja, aquele "que a justiça não pegou". Afinal, o gigante acordou, né? A mentalidade de muitos desde então é que "se a justiça não funciona, agora a gente mesmo resolve".

São rebeldes sem causa a procura de uma vítima, cujo sangue proclame-os heróis. São criaturas que não tem o telencéfalo altamente desenvolvido, apenas o polegar opositor (Salve Ilha das Flores!).


Enfim, são idiotas, cuja estupidez os rebaixou a um novo patamar: o de assassinos. 

domingo, 20 de abril de 2014

Divergente



Eu já fui menos relapsa com esse blog... Mas cá estou eu para meter o pau mais uma crítica construtiva sobre a história que tá fazendo a cabeça da mocidade: Jogos Vorazes Divergente.

Eu não li os livros, portanto, os comentários são baseados apenas na minha primeira impressão da história através do filme. 

Um futuro distópico.Pessoas divididas em determinados grupos. Uma menina habilidosa e determinada a lutar pela moral e os bons costumes justiça. Romance. Não, não estou falando de Jogos Vorazes.



Neste caso, a menina em questão é Beatrice (a protagonista de “A culpa é das estrelas” Shailene Woodley) que ao completar 16 anos, tem que escolher entre as diferentes facções que a cidade está dividida. São elas:

Abnegação – facção dos pais de Beatrice. São altruístas, o importante é ajudar os outrosZzZ e por isso não são vaidosos, e andam como uns maltrapilhos. 



Amizade – aquela galera irritante que já acorda de bom-humor de manhã e estão sempre felizes. Trabalham nas plantações.




Sinceridade – falam somente a verdade doa a quem doer, ou seja, grossos.


Audácia – uns masoquistas que ficam fazendo parkour, pulam de prédios, de trem em movimento, escalam tudo o que veem pela frente...



Erudição – são os que sabem de tudo. Como conhecimento é poder, adivinha qual facção é a vilã na história?



Antes de escolherem qual facção vão pertencer, eles passam por um teste que indica para qual delas eles tem vocação. Porém, os testes de Beatrice são inconclusivos, pois ela estaria apta tanto para a abnegação, quanto para a erudição e a audácia. Como este resultado é raro, ela é uma Divergente, mas não pode contar este resultado a ninguém, pois os divergentes são vistos como uma ameaça aos eruditos, que querem tomar o poder dos abnegados.



Dividida entre essas três opções, Beatrice opta pela Audácia. Então, boa parte do filme vai focar na adaptação dela nesta facção, (apanhando muito basicamente) que é onde ela conhece a Alicia Keys
e o Quatro, o cara que vai ajudá-la a se manter na facção (pois caso ela não tivesse o resultado desejado, ela seria expulsa e se tornaria uma sem facção, que são tipo os mendigos da sociedade) e ser o par romântico dela. 



Aí ele tira a camisa....


... e eu meio que perdi o fio da meada.

Mas o filme é legalzinho... Dá p/ ver sem morrer de tédio, o que já acho uma grande coisa hoje em dia.

quarta-feira, 2 de abril de 2014

Porque o final de How I Met Your Mother fez total sentido


É óbvio, mas mesmo assim vou avisar: O TEXTO ABAIXO CONTÉM SPOILERS.

Nesta semana, fiquei órfã de mais uma série que me divertiu durante um bom tempo e também arrancou algumas lágrimas pelo caminho, que foi um ombro amigo para enfrentar a depressão pós-Friends, e que foi a minha válvula de escape quando eu precisava de algo para distrair a minha cabecinha preocupada.

Durante nove temporadas, vimos um Ted completamente apaixonado pela Robin, que mesmo entre muitas namoradas, nunca deixou de amá-la. E uma Robin que nunca correspondeu aos sentimentos de Ted até o seu casamento.

Bom, a história vocês também acompanharam, então por que tanta revolta com o final?

O fato da 9ª temporada ter se passado toda nos dois dias que antecedem o casamento de Robin e Barney não fez nenhuma diferença. Já o fato deles terem se divorciado fez muito sentido, porque eles mostraram que nem sempre só o amor é suficiente.

No fundo, a Robin é uma romântica que esperava por um sinal, mostrando que o Barney, galinha incorrigível e mentiroso, fosse mesmo o homem da vida dela. O sinal seria o homem que encontrasse o cordão que ela enterrou.  E foi naquele momento que ela percebeu que o Ted era o cara que ela deveria ter ficado, mas ele nunca a deixaria magoar o seu melhor amigo, que ela amava, só não era o cara certo p/ ela.

O casamento do Barney e da Robin foi o empurrão que o Ted precisava naquele momento para seguir de vez com a sua vida, e foi o que ele fez: casou-se com a Tracy, teve filhos com ela e a amou até o fim de sua vida.

O fato de ter amado a Tracy não acaba automaticamente com o amor que ele sempre sentiu pela Robin.  Assim como isso também não significa que ele amou menos a Tracy por isso.

A revolta se deu pelo fato de terem matado a Tracy e, anos depois, ele chamar a Robin p/ sair. Porém, o principal da série foi mostrar como podemos amar (verdadeiramente) várias pessoas ao longo da vida, mas que somente uma ocupa a posição de “The One”, e esse lugar, esteve óbvio desde o início: sempre foi da Robin.

Já a Robin teve que ver o Ted casar com outra para se dar conta de quem ela realmente gostava. O velho “só dá valor depois que perde”.

Talvez, para os indignados, o maior pecado dos roteiristas tenha sido o de trocar o clichê “felizes para sempre” ao antecipar o “até que a morte os separe”.  Mas a vida é assim, cheia de reviravoltas e um tanto agridoce.

Afinal, "o importante não é o destino, mas sim a jornada". 

quinta-feira, 20 de março de 2014

Dia da felicidade - imagens para lhe arrancarem um sorriso

Aloha!

Já faz um tempinho desde a última vez que escrevi por aqui. A última foi os meus palpites do Oscar os quais eu acertei, porque a "Acadimia" é óbvia demais, né? Desde então, a Revoltadinha voltou a dar o ar da graça lá no PMD! Se você não viu, eis os links de pura sabedoria e humor de alta qualidade:

Mulheres Apaixonadas Em (Laços de) Família - Em Família, você já viu essa novela antes...

Oscar 2014 - os destaques da noite e os looks dos famosos

Mas p/ não deixar essa bagaça parada por muito tempo e aproveitando que hoje é o Dia da Felicidade (eu também não sabia, vi no fb), vou postar umas fotos do Buzzfeed que podem colocar um sorriso no rosto de vocês.

Num mundo marcado por absurdos e atrocidades, fica cada vez mais difícil ainda ter fé na humanidade, mas ainda há pugs pessoas altruístas nesse mundo:

Esta primeira foto é de uma parada gay em Chicago onde cristãos apareceram com cartazes e camisas pedindo desculpas pela homofobia da igreja.


Pensionistas japoneses se voluntariaram para acabar com a "crise nuclear" na estação de Fukushima, para que os jovens não tivesse que se sujeitar a ficarem expostos à radiação. 



Uma atleta de Ohio parou para ajudar uma competidora machucada até a linha de chegada durante uma competição de atletismo.


Esse aldeão resgatou filhotes de gato durante as enchentes em Cuttack City, na Índia.


Um homem dando os próprios calçados para uma sem-teto no Rio de Janeiro.


Durante um protesto no Brasil, um general disse: "Não briguem, por favor, não no meu aniversário". E então um grupo de manifestantes fez uma surpresa p/ ele.


E pugs, pugs mesmo com a carinha triste sempre nos fazem sorrir:

Obs: as fotos eu catei das páginas do fb que eu curto, como I love pugs e Pug Maníacos.











No próximo post eu me esforço p/ escrever algo, prometo!

Sayonará!


segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

Oscar 2014

Oláááá,

uma pequena vitória pessoal: pela primeira vez conseguir ver todos os filmes indicados ao Oscar, antes da cerimônia! Eu sei que vocês pensaram "f***-se", mas é que esse é o tema do post de hoje como vocês puderam ler ali em cima no título.

Como não poderia deixar de ser, pelo menos 90% dos indicados a melhor filme tem mais de 2 horas, são baseados em fatos reais, tem a pretensão de serem comoventes, edificantes, mas não são tudo isso....

Vamos ao primeiro da lista: 12 anos de escravidão



Anota aí, esse vai ser o grande vencedor da noite porque tem tudo que a "Acadimia" curte: baseado em fatos reais, muita desgraça, separação da família por forças maiores, um triste episódio da história da humanidade como escravidão (já que não teve nenhum sobre o Holocausto ou conflitos em outros países p/s americanos salvarem o dia), aí de quebra também aborda o racismo obviamente, além de muita chibatada.

O filme ainda conta com o Sherlock Benedict Cumberbatch com todo seu sotaque britânico e Brad Pitt, always the nice guy.

Minha avaliação: ***

A Trapaça



Tem o Batman fazendo cosplay de gigolô de meia-idade, tem a Katniss dando mais piti do que em O lado bom da vida, tem a Amy Adams de babyliss com muito decote e pouco peito, e o Bradley Cooper com um visual de querubim do gueto. Eles querem dinheiro, aí tentam enganar uma gente aí, aí eu cochilei, aí a Jennifer Lawrence dá ataque de pelanca, aí eu cochilei de novo, aí abri os olhos e a Amy Adams não quis pegar o Bradley Cooper, aí eu cochilei, umas paradas aconteceram e depois de DUAS HORAS E QUARENTA MINUTOS ETERNOS o filme acabou.

Minha avaliação: ZzzzZzzz

O lobo de Wall Street



TRÊS HORAS DE FILME. Rola umas surubas, drogas, TRÊS HORAS DE FILME, DiCaprio se esforçando p/ finalmente ganhar o Oscar (e ainda não vai ser dessa vez), TRÊS HORAS DE FILME, o telespectador achando que o filme já tá acabando e não está nem na metade, grana, luxo, glamour, mais sexo e drogas. TRÊS HORAS DE FILME. Sei lá, esse filme poderia ser resumido num funk ostentação.


Minha avaliação: ** (pela cena dele se movimentando com metade do corpo dormente)

Ela

O cara se apaixona pelo Sistema Operacional do computador que é representando pela voz da Scarlett Johansson isso porque não é ela cantando, e é de longe o filme mais diferente e mais interessante entre os indicados. Mesmo sendo uma história de amor totalmente longe do convencional, ainda sim é doce e bonitinha.

Minha avaliação: *********³³³³³³³

Obs: COMASSIM O JOAQUIM PHOENIX NÃO FOI INDICADO COMO MELHOR ATOR? O CARA CARREGA O FILME NAS COSTAS!

Minha aposta é que leva como Melhor Roteiro Original.

Gravidade


A Sandra Bullock é uma engenheira espacial que se ferra quando a plataforma em que trabalhava é atingida e ela fica no vácuo literalmente. O filme é bem tenso e lembra um Poseidon no espaço pela luta pela sobrevivência que beira a uma missão impossível. Só não curti a sensação de estar fazer uma audiometria durante o filme todo.

Minha avaliação: ****

Acredito que leve nas categorias mais técnicas como efeito, fotografia, montagem...

Nebraska


Um senhorzinho, que começa a sofrer de demência, acredita que ganhou US$ 1 milhão após receber pelo correio uma propaganda. A história do filme é basicamente o seu filho tentando convencê-lo de que ele não ganhou a grana, mas com pena ao ver o pai acreditando firmemente naquilo, leva-o até Lincoln para "buscar o dinheiro", e no caminho, eles fazem uma parada na antiga cidade onde moravam, onde vão encontrar parentes e amigos que acreditando em sua história, mostram a verdadeira cara.

Mesmo sendo meio parado e em preto e branco, a história consegue cativar principalmente por mostrar como os idosos são tratados. E o Bruce Dern dá um show a parte.

Minha avaliação: **

Capitão Phillips


Confesso que deixei esse filme por último porque parecia ser o mais chato, mas sabe que o filme é bom? Tem ótimos momentos de tensão durante a perseguição e invasão do navio, além do sequestro do Tom Hanks. Preenchendo a cota África das indicações, não deve ganhar em nenhuma categoria, mas vale a conferida. Ah, também é baseado em fatos reais.

Minha avaliação: ***

Clube de Compras Dallas



Depois de escravidão e África, estava faltando a cota de doença que é ocupada por Clube de Compras Dallas,  e obviamente é baseado em fatos reais. Matthew McConaughey e Jared Leto fazem valer o filme com as mais de 2 horas de história chatinha, e olha que nunca pensei em ver o filme com eles por causa da atuação, mas eles mandaram muito bem.

Por que eles vão ganhar nas categorias de melhor ator e melhor ator coadjuvante? Porque tiveram que emagrecer p/ cara*** muito e a Acadimia adoooora doentes terminais com força de vontade p/ viver.

Minha avaliação: **

Philomena



Baseado em fatos reais (sim, mais um!), a Judi Dench é tão f*** que depois de ter levado ódio aos coraçõezinhos dos fãs de Harry Potter, a eterna Dolores Umbridge (acabaram de me avisar que ela não é a Imelda Staunton, mas é uma doppelganger então) te convence como a fofinha Philomena, uma senhora irlandesa que procura seu filho 40 anos após as freiras o terem tirado dela.

Eu fiquei encantada com esse filme, que é o meu preferido junto com "Ela", pela delicadeza em que contam uma história tão triste. E como jornalista, também é o tipo de história que eu adoraria poder contar um dia. Muito amor por Philomena ♥

Minha avaliação: *****²²²²

BÔNUS - Álbum de Família




DEEM O OSCAR PARA MERYL STREEP E A JULIA ROBERTS! A atuação delas está absurda nesse filme que é um "Tudo em Família" versão hard. E ainda tem o  Sherlock Benedict Cumberbatch (ele tá super cotado) e o Dermot Mulroney (o eterno charmoso de "O casamento do meu melhor amigo")!

Minha avaliação: *****

Obs: A Cate Blanchett está ótima e elegante (como sempre) em Blue Jasmine, o tio Woody Allen mandou bem de novo, mas não é bom o suficiente p/ nenhuma categoria. 

Quais são as apostas de vocês?