http-equiv=’refresh’ content=’0; Boulevard of Ideas: Garota Exemplar - Gillian Flynn

domingo, 7 de abril de 2013

Garota Exemplar - Gillian Flynn

Olá,

voltando a falar um pouquinho de livros por aqui, hoje vou comentar sobre "Garota Exemplar", o novo fenômeno editorial da vez...


Se você procura um romance com uma mocinha indefesa à procura do príncipe encantando que vai amá-la para sempre, com trechos que arrancarão "owwwwns" e te farão criar expectativas completamente irreais, te deixando frustrada quando cair a ficha, passe longe de "Garota Exemplar".

Amy e Nick estão longe de ser um casal perfeito, a cada página vamos descobrindo cada vez mais falhas em seus caráteres, o que de certa forma contribuiu com os problemas no relacionamento dos dois. Muitos casamentos não dão certo porque a pessoa se apaixona por uma projeção que faz do melhor da outra, uma certa idealização comum aos apaixonados e quando o outro mostra quem verdadeiramente é, deixando de ser aquela pessoa cheia de qualidades, perde o encanto. Embora racionalmente saibamos que ninguém é perfeito, parece que a paixão nos deixa cegos a isso e pela intolerância para fazer dar certo quando o outro se mostra "imperfeito", o relacionamento acaba. Acho que o segredo está em encontrar alguém cujos defeitos você consiga tolerar, pois há uma afeição que o motive a ter tal dedicação e isso deve ser recíproco. Mas isso aqui não é terapia de casal, então voltemos ao livro...

Na história de Gillian Flynn, Amy Dunne desaparece no dia do seu quinto aniversário de casamento, aparentemente em circunstâncias violentas e seu marido, Nick, é o principal suspeito.

O livro todo é intercalado por capítulos que ora são narrados por Nick e ora por Amy. Na primeira parte, acompanhamos a investigação da polícia sobre o caso e trechos do diário de Amy contando um pouco sobre o relacionamento dos dois, onde somos levados a acreditar que Amy é uma "Amélia": esposa dedicada, que faz tudo para agradar ao marido e está tão cega de paixão, que fecha os olhos para supostas "agressões" dele com ela.

Já na segunda parte do livro, conhecemos uma outra faceta de Amy e nos surpreendemos com sua inteligência. De boba, ingênua e submissa ela não tem nada, muito pelo contrário...

Nossa "torcida" para quem deve se dar bem e quem deve ser punido no final, vai mudando o tempo todo, levando o leitor a uma dúvida constante e conduzindo a leitura para um final surpreendente, completamente diferente do convencional, onde o "feliz" ou não, é bem subjetivo. Tudo vai depender de como você interpretar a história, por isso, muitos amaram e outros odiaram o desfecho.

Os personagens, embora falhos e movidos pelos sentimentos mais mundanos, conquistam o leitor com suas motivações, que por mais questionáveis que sejam, são muito bem executadas.

Acho que fundo o livro acaba contribuindo com a velha máxima de que "não há nada mais perigoso que a fúria de uma mulher rejeitada". Será? Acho que nenhum homem gostaria de pagar p/ ver...

Em suma, o livro é excelente e se minha opinião é válida para algum de vocês, recomendo que o leiam!

Hasta

:*

3 comentários:

  1. Acho sensacional quando um livro se torna "fenomeno editorial". Eu estava um pouco por fora e não sabia que esse era é o livro da vez. Pela matéria, não tenho certeza se é o tipo de história que eu leria agora, mas parece que a narrativa é excelente, o que torna qualquer história 20 vezes melhor.

    ResponderExcluir
  2. Já está anotada a sugestão.

    Um bom final de semana.

    ResponderExcluir
  3. Parece ser um livro bem interessante mesmo, li a contracapa na livraria e gostei, espero ler qualquer dia hahaha
    bjs

    ResponderExcluir