http-equiv=’refresh’ content=’0; Boulevard of Ideas: Guilty Pleasures

quarta-feira, 27 de março de 2013

Guilty Pleasures



(montagem porca feita no paint meramente ilustrativa)

Quando crescemos, algumas coisas das quais gostávamos até então passam a ser vistas como infantis pelos olhos dos outros e, por mais que não brademos em alto e bom som que ainda gostamos daquilo, o sentimento não muda. Fica reprimido no recôndito da memória e quando vem à tona, acabamos chamando-o de guilty pleasure.

Como nostálgica que sou, confesso que ouço, vejo e leio muita das coisas que ouvia / via / lia e curto como se fosse naquela época. Talvez porque tenham me marcado de alguma forma ou talvez porque eu seja cafona, ou até mesmo retardada infantil.

Vou listar aqui algumas das coisas que eu gosto MESMO até hoje, sem medo de ser julgada. Até por que, quem são vocês p/ julgar alguém, certo?


-McFly é uma banda que conheci na minha adolescência e virei muito fã, amo todos os cds, já vi os dvds um monte de vezes, entrava nos sites de fãs e comunidades do orkut todos os dias para saber as novidades e fui ao show deles três vezes até agora. A febre passou, mas é só tocar uma música deles que eu aumento o volume e canto junto.

-Silvio Santos é O cara da TV aberta. Ninguém tem o carisma que ele tem. Eu assisto o SBT desde pequena. Acompanhava todas as novelas mexicanas e AMAVA o Topa tudo por dinheiro, Em nome do amor, Qual é a música?, Show do Milhão e vários outros programas que ele já apresentou. Vida longa para o melhor apresentador do canal aberto!

-Teste de Fidelidade. Fiquei genuinamente feliz quando soube que o programa tinha voltado, afinal de contas, que não se diverte com aquelas simulações toscas, diálogos iguais e os barracos?
-Sandy & Jr. Eu era fanática do tipo que tinha uma pasta com várias revistas e fotos deles. Os CDs e DVDs eu ainda tenho e ouço. Que atire a primeira pedra quem nunca se pegou cantando Inesquecível, Não Ter, Imortal e tantos outros sucessos... Clássico da juventude dos anos 90!

-Filmes e livros adolescentes cujas protagonistas são mais novas do que eu e ainda estão no ensino médio. Sim, Crepúsculo e livros da Meg Cabot estão incluídos na equação, assim como os filmes da Lindsay Lohan (antes de ser presa 500 vezes) e Hilary Duff (da época que pegava o Joel Madden do Good Charlotte).

A lista ainda é bem longa, mas acho que já dei material o suficiente para os amigos que me leem me zoarem pelas próximas décadas.

Mas agora falando sério. Por que deveríamos nos ‘culpar’ por curtir coisas que o senso comum considera ruim? Eis algumas coisas / atitudes que muitos sentem prazer e que REALMENTE deveriam se sentir culpados por isso:

(Vou listar os que eu lembrei porque já vi muito, infelizmente)

-Regozijar-se com a desgraça alheia; Se é de alguém que você não gosta, a gente até entende...

-Cobiçar o namorado (a) alheio (a), ou pior, pegar o bofe / a mulher dos outros;

-Abrir biscoito dentro do supermercado ou comer bombom na Americana e não pagar. Gente, isso é roubo! E como tem gente que faz isso... Uma vergonha!

-Sair da dieta e comer doces como se não houvesse amanhã ou padrão de beleza imposto pela sociedade; Quem nunca?

-Alimentar os sentimentos de alguém que você sabe que é afim de você, mesmo quando não há o menor interesse da sua parte, porque te faz se sentir bem sabendo que tem alguém ali, ou seja, manter em banho maria.

-Colar na prova e tirar uma nota mais alta do que a galera que se matou de estudar;

-Pegar geral numa noite, encher a cara, etc.

Mas agora quero saber de vocês, quais são seus ‘guilty pleasures’?

2 comentários:

  1. Não me envergonho de gostar de coisas infantis até hoje, essas coisas me fazem voltar a épocas que foram muito boas. Por mais "patético" e "infantil" que possa parecer, não há motivo nenhum pra sentir vergonha de ter sido criança um dia.
    O problema, como você mesma disse, é quando envolvemos outras pessoas em problemas por prazer, aí sim temos que nos envergonhar!
    Muito bom o post!
    bjs

    ResponderExcluir
  2. Carrego minha infancia vividamente comigo. O trabalho que escolhi tem muito a ver com minha infancia. Meus ídolos também.

    Tenho um guilty pleasure fortíssimo até hoje: toda vez que vou arrumar minha caixa de quadrinhos, sento e fico a tarde inteira lendo, um por um. Sinto até o cheiro da minha infancia nessa hora...

    ResponderExcluir