http-equiv=’refresh’ content=’0; Boulevard of Ideas: Viva às novas regras! Viva?

sexta-feira, 29 de abril de 2011

Viva às novas regras! Viva?

Olá,

as novas regras gramaticais já estão aí há pouco mais de um ano, mas a gnt ainda não se acostumou com elas, né? Então nesse post, vcs vão conhecer um pouco dessas novas regras (prestem atenção no início do texto) e um pouco do vocabulário lusitano ;D



O contrarregra é contra as novas regras do português. A menina agora usa minissaia. Meu benquerer não gostou das mudanças. O mandachuva não ficou tranquilo ao pular de paraquedas, sentiu enjoos, pois não se sente confortável em voos. A feiura ficou mais feia sem o acento. O gênio pode ser génio assim como o fato pode ser facto, e o cocô pode ser cocó, mas não o meu. Há algo muito estranho em cinquenta pinguins comendo linguiça tranquilamente. Em um ato heroico, salvaram o paranoico de ser atacado pela jiboia...

O novo acordo ortográfico foi firmado entre Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe, Timor-Leste e Brasil. Para quê?
Pesquisando sobre isso, achei a seguinte justificativa: “(...) a reforma trará maior integração aos países que falam o Português. Até mesmo o comércio é prejudicado pela variedade de regras de país para país. Um simples livro não pode ser comercializado em qualquer parte do ‘mundo português’ por causa das diferenças, o que poderá ser feito a partir de 2010, pelo menos no Brasil”.

As diferenças continuarão existindo, principalmente por causa do vocabulário que continua bem distinto. Por mais que a grafia possa diferir de um país para o outro, a compreensão do texto não fica comprometida por isso. A mensagem é entendida.

Embora, caso você decida ir p/ Portugal, possa haver umas confusões... Por exemplo: se te chamarem de “Betinha”, você não vai entender. Se te chamarem de galinha então, você vai ficar ofendida. Comer “pastilha plástica” e “carcaça” então seria algo estranho.

Torço para que o vocabulário não seja unificado, pois jamais me adaptaria a ir à farmácia quando “estiver com histórias” p/ comprar “penso higiênico”, tomar uma “pica”, entrar na “bicha” para comprar “cacete”, ver “canalhas” e “putos” na rua, “fufas” e “paneleiros” entre tantas outras divergências.

Padronizar a língua entre países que nós nem sabíamos que existia será bem rentável.
É só olhar nas prateleiras das livrarias e ver quantos livros ensinando as novas regras já foram lançados. Além de novos dicionários e gramáticas também.

O método mais eficaz para se escrever corretamente é o hábito da leitura, pois de tanto lermos as palavras, o nosso cérebro acaba decorando a grafia correta com a memória visual. Não vejo como isso irá facilitar a vida das pessoas, pois se essas já tinham dificuldade em escrever corretamente com as antigas regras, quiçá com as novas.

A vida era mais fácil quando farmácia era com ph e “ele” tinha acento circunflexo...

“Andei a apanhar papéis” nesse texto, então minhas “bacoradas” ficam por aqui. Quem não gostou, “desamparam-me a loja”.

Vocabulário:

Betinha = patricinha
Andar a apanhar papéis = viajar na maionese
Galinha = tagarela
Cacete = bisnaga (pão)
Carcaça = pão francês
Vigiar = ficar de olho
Pica = injeção
Canalhas = grupo de crianças
Putos = adolescentes
Penso higiênico = absorvente feminino
Bicha = fila
Estar com histórias = estar menstruada
Fufa = sapatão
Paneleiro = homossexual
Pastilha plástica = chiclete
Bacoradas = o que não tem nada a ver
Desamparam-me a loja = vai catar coquinhos!

5 comentários:

  1. Esse não era o texto do seu amigo que um dia estávamos pensando em botar naquele projeto da revista? Lembro que eu gostei muito.

    Agora, depois de um tempo, eu estou até simpatizando com as novas palavras. As coisas novas as vezes nos fazem ficar reticentes, mas o bom é sempre mexer no que parece muito tempo intacto, né não?

    E definiu:
    "O método mais eficaz para se escrever corretamente é o hábito da leitura, pois de tanto lermos as palavras, o nosso cérebro acaba decorando a grafia correta com a memória visual. "

    ResponderExcluir
  2. Na verdade, esse texto é o meu, mas o meu amigo tinha escrito um sobre a língua portuguesa também hahahaha

    Quando a nossa revista sair, eu faço um texto melhor que esse especialmente p/ ela ;D

    ResponderExcluir
  3. O texto ficou ótimo, mas confesso que mesmo gostando de palavras, o português sempre me foi peculiarmente difícil. Sendo assim, mal aprendi o antigo. Imagine o novo...rsr

    ResponderExcluir
  4. Mt bom o texto!! (msm cheio de metáforas hauhauhau)
    essa nv ortografia só complicou minha vida, nunca entendi nem gostei mt de estudar a lingua, mas pelo menos sabia a maioria das regras, não por estudar mas por ler mts coisas, e eu me acostumei a forma antiga de escrever, mudar isso é dificil...

    ótimo post! continue colocando vários textos seus ;)
    bjss

    ResponderExcluir
  5. Ah, então confundi! Ótimo texto, meus parabéns!

    ResponderExcluir