http-equiv=’refresh’ content=’0; Boulevard of Ideas: Era uma vez

quinta-feira, 31 de março de 2011

Era uma vez

Olá,

no post provavelmente vai aparecer dia 31, mas tecnicamente já é dia 1º de abril e portanto revelarei o vencedor (ou será vencedora?) da promoção.

Primeiramente gostaria de dizer que as resposta foram muito mais criativas que o real motivo da minha escolha.

Segundo, vou explicar rapidinho o motivo do nome: Estava eu matutando um nome para o blog, mas nenhum era aceito pois já existiam. Pensei em "neurose", "paranóia" e até em "anarquia" porque eu gosto de como essas palavras soam e nada. Atá que resolvi abrir a playlist do meu itunes e dar uma olhada no nome das músicas e fui direto na minha banda preferida, o Green Day. A palavra "Boulevard" é francesa e eu gostei de como a união do inglês com francês soou no título de "Boulevard of broken dreams", mas para ficar diferente e mais curto, resolvi substituir o "broken dreams" por "ideas", que acho que definiria melhor o objetivo desse blog que é expressar certas ideias e pensamentos que tenho.

Reconheço que deveria ter bolado uma outra pergunta para a promoção, porque não achei que fosse tão óbvia a resposta (fica p/ próxima hahaha), mas a vencedora foi a Nathália Pandeló que acertou de primeira. (Depois da resposta dela eu pensei "Ahhh, agora que ninguém comenta pq ela já acertou de cara", mas obrigada a todos que participaram. Se ninguém tivesse acertado, seria difícil escolher a mais criativa ;D)



A seguir, um texto antigo que achei aqui e resolvi postar só p/ ter alguma coisa ;D

Era uma vez

Um passante desatento que pousa um olhar numa passante desatenta.
Ele passa a prestar atenção. Antes de seu cérebro assimilar a divina presença que deixa
seus nervos em frangalhos, seu coração já está em disparada. Falta-lhe o ar.

Ao mesmo tempo que ele quer que ela o olhe e vá cumprimentá-lo, ele quer passar despercebido, pois não quer fazer papel de bobo, já que toda vez que a encontra, suas mãos suam, seu estômago se revira, a voz falha e quando consegue falar, gagueja.

Tarde demais. Ela o vê e prontamente vai falar com ele. Apático como se tivesse visto um
fantasma, ela nem nota que o motivo de sua palidez é sua mera presença.

Entusiasmada ela lhe conta sobre sua vida. Ele viaja por suas palavras, pelo movimento de seus lábios e imagina como seria beijá-los. É despertado de seu devaneio por uma pergunta que ela insiste em repetir e exige uma resposta. "Você vai?", ela pergunta esperançosa.

Sem pensar ele responde "é claro", pois não lhe importa a pergunta. Se ela lhe pedisse para descer ao inferno, ele iria sem hesitar. Mas perto do que ela acabara de lhe pedir, o inferno seria um parque de diversão.

Ele dissera sim. Tentou manter o rosto impassível e um sorriso inexpressível enquanto a tristeza lhe corroia por dentro. Já estava treinando a expressão que ele faria toda vez que a encontrasse a partir de então.

Já estava cheio de se sentir vazio. Ele odiava amá-la tanto. Paradoxo.

Sentir como se tivesse levado mil facadas no peito ou como se tivesse sido esmagado por uma manada... Não haveria metáfora que explicasse como ele estava se sentindo.

"Estou tão feliz por você, espero que sejam muito felizes". Ela estava tão alheia a tudo que se passava na cabeça dele que ficou feliz com o comentário irônico que ele acabara de proferir.

Era uma vez a história de amor que ele tanto imaginara e que nunca aconteceu.

Era uma vez algo que poderia ter sido e não foi.

Era uma vez um rapaz que era alheio a tudo e a todos que nunca percebeu o quanto ela gostava dele e que acabou nunca tentando por medo da rejeição.

Era uma vez um rapaz que era tão distraído, que perdera a felicidade que ele não sabia ter nas mãos.

Era uma vez um passante desatento.

É isso =)

Bom fim de semana!

Bjs

10 comentários:

  1. Até que minha resposta não foi tão longe assim... como eu disse, você encontrou a palavra Boulevard (francesa), achou legal, e a juntou com "of ideas", que era só um complemento. Mas eu tinha dito que vc viu num livro, jamais poderia imaginar que era uma música do GreenDay! Legal, parabéns pela promoção e para a Nathália Pandeló.

    Muito legal o texto do Era Uma Vez. Por acaso vc sabe o autor?

    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. essa promoção foi legal mesmo, mas ela podia ter acertado depois, como foi a 1a a comentar td mundo já sabia que ia perder ahauhauha
    mt bom o texto, mt legal msm...
    vc q escreveu neh? huahau
    bjss

    ResponderExcluir
  3. Sim amiguinhos, o texto é meu hahahaha

    ResponderExcluir
  4. QUE EMOÇÃÃÃÃO \o/
    Obrigada, Mari!
    E desculpa ter acertado de primeira assim, gente, mas eu precisava garantir o DVD do Bon Jovi! hahah

    E que texto, hein? E me lembrou certas coisas aí... Melhor nem comentar :D

    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Uau, Mari, belíssimo texto. Meus parabéns.

    ResponderExcluir
  6. Mari, adorei o texto vc está escrendo cada vez melhor, me lembrou os textos do Verissímo.... bjs.

    ResponderExcluir
  7. Curti demais, Mari!! :D
    Parabéns!

    ResponderExcluir
  8. Obrigada, gente!

    Que bom que vocês gostaram ^^

    ResponderExcluir
  9. aii que texto deprê.... =X

    ResponderExcluir
  10. A Nath ter ganho foi marmelada!
    ushaushaushaushaushaushaushaushuash
    Brincadeira.
    Mas eu tive esse pensamento de "ah, ela acertou, nem vou tentar porque não vou nem conseguir ser criativa." :D

    LIIINDO o texto Mari, adorei!

    Beijos

    ResponderExcluir