http-equiv=’refresh’ content=’0; Boulevard of Ideas: Agosto 2010

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Chapeuzinho Vermelho

Olá,

primeiramente gostaria de agradecer a todos que comentaram no post anterior, que bom que vocês gostaram =)É muito legal quando eu consigo ultrapassar a marca de 4 comentários, p/ mim é uma vitória hahaha

Vou aproveitar e divulgar minha matéria no AeP, p/ todos aqueles que não sabem as funções dos deputados, senadores, governadores e até mesmo do presidente... Agora vão saber!



Recebi um e-mail muito legal, sobre as diferentes maneiras de contar a mesma história e como a maioria que acessa esse blog (que eu saiba) faz jornalismo, tenho certeza que vão gostar e entender bem as diferenças, e aqueles que não fazem (vão entender tbm hahaha) vão se divertir.

Se a história da Chapeuzinho Vermelho fosse verdadeira, como ela seria veiculada pela imprensa brasileira?

* Jornal Nacional

(William Bonner): 'Boa noite. Uma menina chegou a ser devorada por um lobo na noite de ontem.' (Fátima Bernardes): 'mas a atuação de um caçador evitou a tragédia.'

* Programa da Hebe

"Que gracinha, gente! Vocês não vão acreditar, mas essa menina linda aqui foi retirada viva da barriga de um lobo, não é mesmo?"

*Cidade Alerta

"Onde é que a gente vai parar, cadê as autoridades? Cadê as autoridades? A menina ia pra casa da vovozinha a pé! Não tem transporte público! Não tem transporte público! E foi devorada viva. Um lobo, um lobo safado. Põe na tela, primo! Porque eu falo mesmo, não tenho medo de lobo, não tenho medo de lobo, não!"



*Superpop

"Geeente! Eu tô aqui com a ex-mulher do lenhador e ela diz que ele é alcoólatra, agressivo e que não paga pensão aos filhos há mais de um ano. Abafa o caso!"

* Globo Repórter

"Tara? Fetiche? Violência? O que leva alguém a comer, na mesma noite, uma idosa e uma adolescente? O Globo Repórter conversou com psicólogos, antropólogos e com amigos e parentes do Lobo, em busca da resposta. E uma revelação: casos semelhantes acontecem dentro dos próprios lares das vítimas, que silenciam por medo. Hoje, no Globo Repórter.."

* Discovery Channel

"Vamos determinar se é possível uma pessoa ser engolida viva e sobreviver."

* Revista Veja

"Lula sabia das intenções do Lobo."

* Revista Cláudia

"Como chegar à casa da vovozinha sem se deixar enganar pelos lobos no caminho."

* Revista Nova

"Dez maneiras de levar um lobo à loucura, na cama!"

* Revista Isto É

Gravações revelam que lobo foi assessor de político influente

* Revista Playboy

(Ensaio fotográfico com Chapeuzinho no mês seguinte): "Veja o que só o lobo viu."

* Revista Vip

"As 100 mais sexies - Desvendamos a adolescente mais gostosa do Brasil!"

* Revista G Magazine

(Ensaio com o lenhador) "O lenhador mostra o machado"

* Revista Caras

Na banheira de hidromassagem, Chapeuzinho fala a CARAS: "Até ser devorada, eu não dava valor pra muitas coisas na vida. Hoje, sou outra pessoa."

* Revista Superinteressante

"Lobo Mau: mito ou verdade?"

* Revista Tititi

"Lenhador e Chapeuzinho flagrados em clima romântico em jantar no Rio"

* Folha de São Paulo

"Lobo que devorou menina era do MST"

* O Estado de São Paulo

"Lobo que devorou menina seria filiado ao PT"

* O Globo

"Petrobrás apóia ONG do lenhador ligado ao PT, que matou um lobo para salvar menor de idade carente"

* O Povo

"Sangue e tragédia na casa da vovó"

* O Dia

"Lenhador desempregado tem dia de herói"

* Extra

"Promoção do mês: junte 20 selos, mais 19,90 e troque por uma capa vermelha igual a da Chapeuzinho!"

* Meia hora

"Lenhador passou o rodo e mandou lobo pedófilo pro saco!"

Achei muito bem bolado, espero que tenham gostado =)

Ps: AHHHHH meu santo é MUITO forte, e eu esqueci de compartilhar minha felicidade no post anterior... BON JOVI FAZ SHOW NO RIO DIA 8/10!!!

Ps2: Sábado agora (28/08) tem Danilo Gentili em Niterói com seu stand-up "Vol 1", dps eu conto como foi ;D

Ps3: Bom resto e final de semana!

Bjsss

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Brinquedos da Infância

Olá,

primeiramente, vou anunciar minhas outras matérias em sites sérios =)

Lembram da polêmica que o Danilo Gentili arrumou quando disse a seguinte frase no twitter: "King Kong, um macaco que, depois que vai para a cidade e fica famoso, pega uma loira. Quem ele acha que é? Jogador de futebol?"? Então, a resposta dele às duras críticas que ele recebeu, você confere aqui

E p/s fãs de MPB que querem saber onde podem curtir o gênero em Petrópolis, além de conhecer 2 talentos locais, você confere aqui

Não é pq eu participo de ambos os sites não, mas ambos tem matérias muito legais, sério! Até pq se eu não acreditasse em seus respectivos potenciais, eu não participaria...

Enfim, vamos ao tema do post que é como vcs já leram ali em cima: Brinquedos da Infância.

Eu sou MUITO saudosista, e olha que só tenho 19 anos (em breve 20!), mas é incrível como as coisas mudaram desde a minha infância até hoje. Acredito que a nossa geração (anos 90)foi a que mais sentiu essas diferenças, pq as tecnologias hj se desenvolvem mt mais rapidamente do que na época dos nossos pais. Conheço pessoas nascidas em 60/70 e ambos brincaram com as mesmas coisas praticamente, mas já os brinquedos que eu tinha, eu nem vejo mais a venda...

Lembra do Bat-beg? 2 bolinhas que batiam uma na outra e deixavam nossas mãos roxas eram febre na hora do recreio, cada um tentava mostrar que sabia fazer a bolinha bater em cima e em baixo (360 graus) e distraía a gente... E o pirocóptero? Vc comprava um pirulito de 20 centavos (+/-, ñ lembro o preço exato) e ganhava uma "hélice" p/ colocar no cabo do pirulito, dps era só girar com as mãos e voilá, voava altão! O barato dessas coisas é que eram super baratas e divertiam muito as crianças, não tinha aquela de se divertir com "wii" ou "guitar hero" (que são mt maneiros tbm), era uma coisinha a toa que qualquer um tinha, assim como so bonecos de farinha. Eu não sei vocês, mas eu gastava 1 real (ou 2 reais?) sempre que um boneco estourava. Uma bexiga com farinha dentro me fascinava, adorava ficar apertando aquilo compulsivamente, e era bonitinho... Todas as minhas amigas tinham também hahahaha

Pokemón foi uma febre mundial. Isso é fato e o que saiu de produtos do desenho foi absurdo, tinha absolutamente TUDO do pokemón a venda e uma febre foi os bonequinhos que vinham no guaraná. Era uma pokebola na tampa, com o bichinho dentro. Eu que nunca gostei de guaraná (fala sério, refri sem graça. É o refri "step", qnd ñ tem coca, sprite.. vai guaraná!) comprei vários só p/ ter o mini pokemón. Tinha umas maquinhas de 25 centavos, q tinham pokemons falsificados, mas que nas brincadeiras valiam tbm...

Tazos também foram uma outra febre, principalmente entre os meninos que "batiam tazos" e os ganhavam ou os perdiam... Embora eu não suporte o refrigerante, eu fiz meus pais comprarem muita Coca-Cola por causa dos "brinquedinhos" que vinham, e principalmente quando eram os geloucos. Cara, aquilo era mt legal. Uns brilhavam no escuro, e todos pulavam qnd vc "apertava" atras... As garrafinhas da coca que eram chaveiros, foram outra febre que eu acompanhei xD

Eu que nunca tive um bichinho de estimação pq smp morei em apê, encontrei um consolo no tamagoshi que tinha todo meu cuidado e dedicação. Hoje em dia, as aulas são interrompidas pelos celulares, antigamente eram pelos bips dos nossos filhotinhos virtuais... e era legal que todo mundo checava em suas mochilas p/ saber qual que tava apitando, foi uma fase mt boa!

Toda criança quer ter acessórios de adultos como celulares, lap top.. pq é legal falar que tem, mas na minha época não tinha mp3, então eu ganhei um walkman vermelho (que eu tenho até hoje) onde eu ouvia minhas fitas de sandy & júnior, e era legal que quando a pilha tava acabando, a voz da sandy ia ficando grossa, beirando o gutural.. dava medo! Mais tarde teve o diskman (que eu tbm tenho até hj), mas p/ mim essas foram grandes invenções pq eu sou da época da vitrola (tinha disco de vinil da Xuxa xD)...

A agenda eletrônica era uma outra coisa inútil que agnt queria ter de qlqr maneira! Eu juntei vários selos da revista Explora (lembra da Recreio tbm?) e ganhei um estojo azul cuja tampa era uma agenda eletrônica, bem legal!

Não sei vocês, mas eu jogava mt super-trunfo com meu primo. Era um joguinho tão legal, a gente passava uma tarde inteira jogando o de carros, ônibus, avião, até do pokemón a gente tinha! Assim como os cards (+ tarde). Quem nunca teve um "deck" de pokemón e foi na "progames" (é esse o nome da loja que ficava no 2º andar do marquese?) trocar card? Eu acho que tenho meus decks até hoje, do pokemón e do Harry Potter... ACHO!

Por último, mas não menos significativo (p/ mim), os bonecos do power rangers! Eu tinha TODOS! Era fissurada pelo seriado, e o boneco era 2 em 1, ou seja, você apertava o cinto dele e a cabeça mudava. Ou ele ficava com o capacete, ou sem! Era sensacional!!!! Eu tbm tinha um bonequinho do Cavaleiros do Zodíaco que montava a armadura...



Só p/ esclarecer, eu tbm tinha mt Barbie, panelinhas e brinquedos de meninas, mas esses que eu falei são unisex... hahahaha

É isso, espero que todos possam ter tido bons momentos relembrando a infância...

Bom fds!

Bjsss

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Músicas hinos

Olá,

Antes de tudo, gostaria de comunicar a todos que finalmente o Acontece em Petrópolis voltou ao normale com matérias fresquinhas, como você pode conferir aqui

Além do AeP, estou escrevendo para o blog da faculdade também, e vocês podem conferir minha matéria de gafes jornalísticas clicando aqui

Se puderem comentar, eu ficarei imensamente feliz ;D

Agora vamos ao tema do post de hoje...

Assim como no post anterior, hoje farei um Top 5 de músicas que na minha opinião, viraram hinos. Para a música ser um hino, não basta ser boa, mas tem que despertar aquela vontade de cantar a plenos pulmões um poderoso refrão que normalmente exige a presença de um coro, como o famoso "nananana" de Hey Jude, dos Beatles.




The best is yet to come - Scorpions

Infelizmente essa fantástica banda de rock alemã despede-se do cenário musical onde estão há 45 anos com apresentações em São Paulo no dia 19/09, em Curitiba no dia 21 e em Brasília no dia 22. Porque eles não vem ao Rio, p/ mim é um mistério, já que o grupo já se apresentou na Cidade Maravilhosa antes. Nem preciso dizer o quanto estou ressentida por perder um show deles, e principalmente este por ser o último...

Mas enfim, The best is yet to come começa com a inconfndíel voz de Klaus Meine cantando:

Across the desert plains
Where nothing dares to grow
I taught you how to sing
You taught me everything I know
And thought the night is young
And we don’t know if we’ll live to see the sun

e depois parte p/ um grande refrão com direito a um forte na na na na que mais parece um "hey-a hey-ho hey-a hey-ho" don't look now the best is yet to come...

Se vc não conhece essa música, tá esperando o quê? GO!



Don't look back in anger - Oasis

Ok, vcs devem estar estranhando ter Oasis num top5 e não ter Green Day, mas tentei colocar músicas diferentes das que eu colocaria normalmente e que não fossem tão previsíveis.

Embora eu tenha adorado saber que o Oasis acabou e continue achando or irmãos Gallagher os caras mais escrotos do mundo, eu não posso deixar de reconhecer que como mãos britânicos, eles sabem fazer música boa. Eu não consigo ouvir essa música sem cantar bem alto "And Sooooooooooooooooo Sally can wait/She knows it's too late/ As we're walking on by/Her soul slides away/But don't look back in anger!/I heard you say", é contagiante. E o início da música me lembra algum "trailer" de uma série ou temporada nova e emocionante que vai estrear na TV onde só mostram os pontos altos como situações inesperadas e as reações do personagens. Viajei agora, né? Mas é o que essa música me lembra e a letra dela é muito foda (com o perdão da expressão).

Confere ae!




Livin' on a Prayer - Bon Jovi

Eu: Cara, tô muito p*** pq vou perder o show do Bon Jovi. Tem noção? Depois de 15 anos os cornos vão no meio da semana e em SAMPA! Pq ñ vem p/ RJ? "Puta falta de sacanagem"...
Alguém: Fala sério, Bon Jovi é uma merda, é banda de velha tarada..
Eu: Que banda de velha tarada, eu não iria no show só pq o cara é lindo, as músicas deles são mt boas, vai me dizer que vc ñ curte Livin' on a prayer?
Alguém: Qual?
Eu: Aquela - cantando - ÔÔÔÔÔ We're half way theeere, ô ô livin' on a prayer...
Alguém: Ah pode crer, essa música é foda...
Eu: Não só essa, como todas as outras... (sigo falando vááááárias músicas deles que eu amo e recomendo)

Vc certamente já ouviu um diálogo parecido, se é que não fez parte de um. Não importa se vc acha o Bon Jovi ruim, etc, dessa música vc certamente gosta e mesmo que relute em admitir, com certeza já a cantou no chuveiro ou em algum outro lugar.

Confira esse vídeo onde o começo é nada mais, nada menos que o famoso "tum tum tuum" de We will rock you do Queen (que também é um hino...).



We're the champions - Queen

Música de vitória brasileira em algum esporte (já ouvi no vôlei), clichê de formatura... Enfim, essa música é cantada para celebrar grandes momentos na vida das pessoas, logicamente os de transição para uma coisa melhor.

Se essa música fosse de uma outra banda qualquer, certamente não seria tão boa quanto é justamente por ser do Queen. O Freddie Mercury foi o cantor mais performático e irreverente que eu já vi (infelizmente, só em DVDs) e sua voz então, nem se fala...

Com certeza vc já ouviu essa música, mas caso não, comece a reparar esse erro right here



Another brick in the wall - Pink Floyd

The last but not least... Essa música tem 3 partes e a que eu mais gosto, é a segunda onde várias crianças cantam:

We don't need no education
We don't need no thought control
No dark sarcasm in the classroom
Teachers leave them kids alone
Hey! Teacher! Leave them kids alone!
All in all it's just another brick in the wall
All in all you're just another brick in the wall

É tão sério o que a letra diz e tão poderosa como é cantada na música, que é simplesmente hipnotizante, além dos incríveis arranjos e mudanças durante a música toda. Genial!

Isso sim é um show...

Espero que todos os links que eu inseri tenham ido (acho que finalmente aprendi hauiahauiahuiahauiah xD). Bom, se vcs ñ conheciam alguma música (o que eu acho difícil, mas enfim), eis a oportunidade. Não sou nenhuma expert, mas acho que qualquer pessoa que curta rock, certamente vai amá-las ;D

É isso ae...

Bom fds ;D

Bjss

sábado, 7 de agosto de 2010

Top 5 de bandas que valem a pena conhecer

Como eu bem sei, independente do que eu poste nessa budega, o que faz
sucesso em qualquer blog são os tops 5 / 10 sobre qualquer coisa. Não sei
porque, mas todo mundo gosta de um ranking por mais irrelevante que ele seja
(eu me incluo nessa, tenho até um livro chamado "Os 10 +" haha).

Então resolvi unir o útil ao agradável e fazer um top 5 de bandas que eu curto e
que muita gente não conhece ou não curte porque acha "trash" demais ou
simplesmente pq tem preconceitos hahaha

Ps: Não lembro se já falei de alguma dessas bandas, acredito que já as tenho
citado, se repeti alguma, desculpem, mas não lembro msm xD




1) Poison

Recentemente Bret Michaels (vocalista) esteve em evidência, porque esteve internado com dois AVCs, venceu um reality show nos EUA, o "The celebrity appretice", que seria "O Aprendiz dos famosos", além de ter seu próprio reality na VH1, o "Rock of Love" onde ele procura uma namorada.

A banda teve sua música "Talk dirty to me" no Guitar Hero, então muitos passaram a conhecer Bret e sua banda depois disso. A banda é considerada "hard rock", eu não sei classificar banda nenhuma, mas eu diria que não fica atrás de muitas bandas de renome, como o Guns, por exemplo. Não estou comparando, mas "Every rose has it thorn" é uma música tão melosa quanto "November rain", ao meu ver.

P/ quem não conhece, rcomendo: Something to believe in (além das citadas acima)




2) Cheap Trick

O que eu mais gosto sobre seriados adolescentes é que eu sempre descubro bandas legais em alguns episódios, como essa que apareceu na 7ª temporada de One Tree Hill (no mesmo bar onde várias bandas já se apresentaram no decorrer da série). A banda é de Illinois (EUA) e começaram a ficar conhecidos no final dos anos 70 e cantavam a abertura da série “The 70’s show”, In the Street.

Engraçado que eu já conhecia uma música deles, “I want you to want me”, mas não tinha ideia de quem era (isso vive acontecendo comigo, e anos mais tarde eu descubro as bandas xD), inclusive foi essa música que eles tocaram em OTH e que me impulsionou a ouvir mais a banda.

Recomendo: Surrender e Dream Police




3) The Bangles

“Close your eyes, give me your hand, darling / Do you feel my heart beating? / Do you understand? / Do you feel the same?/ Am I only dreaming or is this burning an eternal flame?”, se você não conhece essa música, você não tem cultura nenhuma dos anos 80, porque embora de nome você possa não conhecer a banda, essa música tocou MUITO e tenho certeza que se você escutá-la, vai lembrar-se dela.

São poucas as bandas compostas só por mulheres que eu gosto, não é a voz de qualquer uma que eu aguento ouvir, mas a voz delas é boa de se ouvir, elas são bem afinadas e beeeeeeeem anos 80 (dá p/ ver pelo cabelo que deu origem ao nome da banda como vocês podem ver aqui(o link costuma não ir comigo, mas qlqr coisa copia e cola)

Eu sou suspeita p/ recomendar algo porque gosto de 95% das músicas delas, mas vamos lá: Manic Monday (se não me engano, Prince que compôs essa música para elas) e I’ll set you free





4) Rooney

Conhecia a banda através de The O.C, na primeira temporada da série e lembro de ter gostado, mas só fui procurar a respeito quando o Robert Schwartzman (filho do Jack Schwartzman que é o protagonista de Bored to Death) interpretou o Michael Moscovitz em “O Diário da Princesa”, mas homens, não tenham preconceito com a banda pelas suas participações em programas “mulherzinhas”, pq o indie rock deles vale a pena ser conferido.

Difícil escolher, mas “I’m shaking” é bem Rooney e “I should’ve been after you” é muito viciante, assim como “Tell me soon” e todas do cd “Calling the World”



5) Manic Street Preachers

Essa banda eu conheci ouvindo a rádio e como eu tenho o hábito de anotar o nome das músicas e bandas que eu não conheço, cujas músicas me agradaram, foi assim que eu baixei “If you tolerate this than your children will be next” e depois dessa, várias outras.

A banda já tem 9 cds lançados, e embora eu não conheça toda a discografia, cada vez que eu baixo uma música, eu adoro.

Recomendo então: 1985 e The Everlasting

Bom, por hj é só..

Feliz dia dos pais para todos os papis ;D

Bjsss

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Miss Imperfeita

Olá,

primeiramente gostaria de comentar sobre "O formigueiro", o programa do Marco Luque que passa aos domingos na Band. Que p*** é aquela?

Lembram do "Bom dia e Cia" com a Eliana? Então.. é igual! Cientistas retardados, mágicos, só que ao invés do Melocotom, são 2 formigas... Mt fraco... Programa bem infantil...

E só mais um comentário o qual não vou me estender... Está de volta a censura no Brasil.

Não se pode fazer piada com política, como se o Brasil não fosse o país da piada pronta né? Se os políticos não querem ser alvo de piadas, não deem motivo!

Não se pode mais falar palavrão nos estádios do futebol. Vai ter policiais no meio das torcidas punindo quem falar um pqp? É isso msm? O Collor falar "Quando eu lhe encontrar, vai ser para enfiar a mão na sua cara, seu filho da puta" p/ um jornalista, tudo bem então? É permitido xingar o cara que tá fazendo o seu trabalho, mas não é permitido um cara que vai assistir a um jogo p/ se distrair e na empolgação acaba falando um #$¨!@$"$@#%? É por isso que cada vez mais eu sinto orgulho de ser brasileira... ¬¬




Bom, mas vamos ao post de hoje.. Minha caixinha de e-mail ñ recebe só besteirol (que eu sei que diverte vocês), eu recebo textos legais então, e o que vou postar hoje é da Martha Medeiros, que é jornalista e escritora:

Miss Imperfeita

'Eu não sirvo de exemplo para nada, mas, se você quer saber se isso é possível, me ofereço como piloto de testes. Sou a Miss Imperfeita, muito prazer. A imperfeita que faz tudo o que precisa fazer, como boa profissional, mãe, filha e mulher que também sou: trabalho todos os dias, ganho minha grana, vou ao supermercado, decido o cardápio das refeições, cuido dos filhos, marido (se tiver), telefono sempre para minha mãe, procuro minhas amigas, namoro, viajo, vou ao cinema, pago minhas contas, respondo a toneladas de e-mails, faço revisões no dentista, mamografia, caminho meia hora diariamente, compro flores para casa, providencio os consertos domésticos e ainda faço as unhas e depilação!

E, entre uma coisa e outra, leio livros.

Portanto, sou ocupada, mas não uma workaholic.

Por mais disciplinada e responsável que eu seja, aprendi duas coisinhas que operam milagres.

Primeiro: a dizer NÃO.

Segundo: a não sentir um pingo de culpa por dizer NÃO. Culpa por nada, aliás.

Existe a Coca Zero, o Fome Zero, o Recruta Zero. Pois inclua na sua lista a Culpa Zero.

Quando você nasceu, nenhum profeta adentrou a sala da maternidade e lhe apontou o dedo dizendo que a partir daquele momento você seria modelo para os outros.

Seu pai e sua mãe, acredite, não tiveram essa expectativa: tudo o que desejaram é que você não chorasse muito durante as madrugadas e mamasse direitinho.

Você não é Nossa Senhora.

Você é, humildemente, uma mulher.

E, se não aprender a delegar, a priorizar e a se divertir, bye-bye vida interessante. Porque vida interessante não é ter a agenda lotada, não é ser sempre politicamente correta, não é topar qualquer projeto por dinheiro, não é atender a todos e criar para si a falsa impressão de ser indispensável. É ter tempo.

Tempo para fazer nada.

Tempo para fazer tudo.

Tempo para dançar sozinha na sala.

Tempo para bisbilhotar uma loja de discos.

Tempo para sumir dois dias com seu amor.

Três dias.

Cinco dias!

Tempo para uma massagem.

Tempo para ver a novela.

Tempo para receber aquela sua amiga que é consultora de produtos de beleza.

Tempo para fazer um trabalho voluntário.

Tempo para procurar um abajur novo para seu quarto.

Tempo para conhecer outras pessoas.

Voltar a estudar.

Para engravidar.

Tempo para escrever um livro que você nem sabe se um dia será editado.

Tempo, principalmente, para descobrir que você pode ser perfeitamente organizada e profissional sem deixar de existir.

Porque nossa existência não é contabilizada por um relógio de ponto ou pela quantidade de memorandos virtuais que atolam nossa caixa postal.

Existir, a que será que se destina?

Destina-se a ter o tempo a favor e não contra.

A mulher moderna anda muito antiga. Acredita que, se não for super, se não for mega, se não for uma executiva ISO 9000, não será bem avaliada. Está tentando provar não-sei-o-quê para não-sei-quem.

Precisa respeitar o mosaico de si mesma, privilegiar cada pedacinho de si.

Se o trabalho é um pedação de sua vida, ótimo!

Nada é mais elegante, charmoso e inteligente do que ser independente.
Mulher que se sustenta fica muito mais sexy e muito mais livre para ir e vir. Desde que lembre de separar alguns bons momentos da semana para usufruir essa independência, senão é escravidão, a mesma que nos mantinha trancafiadas em casa, espiando a vida pela janela.

Desacelerar tem um custo. Talvez seja preciso esquecer a bolsa Prada, o hotel decorado pelo Philippe Starck e o batom da M.A.C.
Mas, se você precisa vender a alma ao diabo para ter tudo isso, francamente, está precisando rever seus valores.

E descobrir que uma bolsa de palha, uma pousadinha rústica à beira-mar e o rosto lavado (ok, esqueça o rosto lavado) podem ser prazeres cinco estrelas e nos dar uma nova perspectiva sobre o que é, afinal, uma vida interessante'.

***************

E só mais um texto que eu achei curioso. tentem achar o que está faltando no texto abaixo ;D

Sem nenhum tropeço posso escrever o que quiser sem ele, pois rico é o português e fértil em recursos diversos, tudo isso permitindo mesmo o que de início, e somente de início, se pode ter como impossível. Pode-se dizer tudo, com sentido completo, mesmo sendo como se isto fosse mero ovo de Colombo.

Desde que se tente sem se pôr inibido pode muito bem o leitor empreender este belo exercício, dentro do nosso fecundo e peregrino dizer português, puríssimo instrumento dos nossos melhores escritores e mestres do verso, instrumento que nos legou monumentos dignos de eterno e honroso reconhecimento.

Trechos difíceis se resolvem com sinônimos. Observe-se bem: é certo que, em se querendo esgrime-se sem limites com este divertimento instrutivo. Brinque-se mesmo com tudo. É um belíssimo esporte do intelecto, pois escrevemos o que quisermos sem o "E" ou sem o "I" ou sem o "O" e, conforme meu exclusivo desejo, escolherei outro, discorrendo livremente, por exemplo, sem o "P", "R" ou "F", o que quiser escolher, podemos, em corrente estilo, repetir um som sempre ou mesmo escrever sem verbos.

Com o concurso de termos escolhidos, isso pode ir longe, escrevendo-se todo um discurso, um conto ou um livro inteiro sobre o que o leitor melhor preferir. Porém mesmo sem o uso pernóstico dos termos difíceis, muito e muito se prossegue do mesmo modo, discorrendo sobre o objeto escolhido, sem impedimentos. Deploro sempre ver moços deste século inconscientemente esquecerem e oprimirem nosso português, hoje culto e belo, querendo substituí-lo pelo inglês. Por quê?

Cultivemos nosso polifônico e fecundo verbo, doce e melodioso, porém incisivo e forte, messe de luminosos estilos, voz de muitos povos, escrínio de belos versos e de imenso porte, ninho de cisnes e de condores.

Honremos o que é nosso, ó moços estudiosos, escritores e professores. Honremos o digníssimo modo de dizer que nos legou um povo humilde, porém viril e cheio de sentimentos estéticos, pugilo de heróis e de nobres descobridores de mundos novos.


Descobriram??





Então...



Está faltando a letra "A", legal né?

É isso gente,

boa semana!

Bjins