http-equiv=’refresh’ content=’0; Boulevard of Ideas: Novembro 2009

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

+ propagandas incríveis

Olá,

hoje eu vou postar MUITAS propagandas super criativas que eu recebi por email, por isso nem vou escrever nada pq além de não ter o que dizer, elas vão deixar o post bem grande hahaha























































































É isso, último post de novembro e 1º post com 19 anos hauiahuiahauiah

bjinss

sábado, 21 de novembro de 2009

Lua Nova / 2012

Olá,

feriado e fds é bom p/ ir ao cinema, e ontem como foi estreia de "Lua nova", eu não poderia deixar de ter ido conferir um filme tão aguardado pelos fãs da saga [eu me incluo nisso] de Crepúsculo.



Sinopse: Depois de recuperar-se do ataque de vampiros que quase a matou, Bella Swan (Kristen Stewart) decide celebrar seu aniversário com a família Cullen. Entretanto um pequeno acidente durante as festividades faz com que ela sangre fato que se prova intenso demais para os vampiros que decidem deixar a cidade para o bem dela. Inicialmente de coração partido Bella encontra conforto em uma vida despreocupada mas diversos perigos a aguardam.

-> Depois de suar quase 1 hora na fila enorme, finalmente consigo arrumar um bom lugar na sala com ar condicionado =D Milagrosamente, assisti ao filme todo e não fiquei surda.
Só de aparecer "New Moon" na tela, as meninas já berravam igual loucas. Quando Edward surge na tela, achei que meus tímpanos fossem estourar. Parecia que ele estava há poucos metros daquelas meninas e se declarando p/ elas, pq nunca tinha visto tal histeria num filme.

Jacob aparece, elas se esgoelam ainda mais, quando ele tira a camisa então... e surgiu cada comentário hahahah
Isso ocorre do início ao fim, cada vez que eles apareciam... mas vamos ao que interessa!

O filme é perfeito! Eu particularmente, achei o livro o mais "chatinho" da saga, e não esperava que o filme fosse ficar tão bom, como ficou. Ao contrário de "Crepúsculo", onde todas as cenas eram azuladas, "Lua Nova" é mais sombrio, melancólico e com cores mais vivas e contrastantes. Todas as cenas foram exatamente como eu imaginei, e AMEI os Volturi. Todos ficaram muito bem caracterizados, Dakota Fanning inclusive, ficou mt legal como Jane. Mas o grande destaque do filme, foi o Jacob realmente, Taylor Lautner ganhou minha simpatia nesse filme, ele se destacou muito mais que o Robert Pattinson. Vendo o filme, o Jacob parece mais certo p/ Bella, e a dinâmica dos 2 no filme é legal, não é tão melosa... mas enfim né, aos fãs, eu SUPER recomendo ;D



Sinopse: Em 2008, o presidente americano (Danny Glover) convoca uma reunião de emergência com as principais potências para conversar sobre um grande perigo para a humanidade. Os anos passam e, com a proximidade de 2012, as autoridades decidem que não é mais possível conter o perigo eminente que pode significar o fim do mundo. Com isso, colocam em prática o plano iniciado anos atrás, sob o comando dos cientistas Adrian Helmsley (Chiwetel Ejiofor) e Carl Anheuser (Oliver Platt). Enquanto isso, o escritor Jackson Curtis (John Cusack) leva sua vida de marido separado, pai de dois filhos, como motorista de limusine e tendo que aturar as reclamações da ex esposa (Amanda Peet). Ao levar os filhos para passear, ele descobre os primeiros sintomas da destruição do planeta..

->Por ser do mesmo diretor, o filme é exatamente como "O Dia Depois de Amanhã": cenas super catastróficas e impossíveis que geram adrenalina e aflição. Eu particularmente, gosto de filme assim, é bom p/ passar o tempo, e por mais que a gente saiba que o mocinho não vai morrer, a gente sempre fica com aflição nas cenas torcendo p/ ele voltar hahahaha
A cena do Cristo Redentor, que inclusive é a imagem dos cartazes do filme aqui, é ridícula. Muito curta! Se piscar, perde. Mas pelo menos o Rio foi citado haaha
Quem gostou de "O dia depois de amanhã", certamente irá gostar desse também...

****************************

P/ finalizar, um texto de Arnaldo Jabour, enviado pela Picky por email ;)

O Mundo sem Mulheres!
(Arnaldo Jabour)


O cara faz um esforço desgraçado para ficar rico pra quê?

O sujeito quer ficar famoso pra quê?

O indivíduo malha, faz exercícios pra quê?

A verdade é que é a mulher o objetivo do homem.

Tudo que eu quis dizer é que o homem vive em função da mulher.

Vivem e pensam em mulher o dia inteiro, a vida inteira.

Se a mulher não existisse, o mundo não teria ido pra frente.

Homem algum iria fazer alguma coisa na vida para impressionar outro homem, para conquistar sujeito igual a ele, de bigode e tudo.

Um mundo só de homens seria o grande erro da criação.

Já dizia a velha frase que 'atrás de todo homem bem-sucedido existe uma grande mulher'.

O dito está envelhecido. Hoje eu diria que 'na frente de todo homem bem-sucedido existe uma grande mulher'.

É você, mulher, quem impulsiona o mundo.

É você quem tem o poder, e não o homem.

É você quem decide a compra do apartamento, a cor do carro, o filme a ser visto, o local das férias.

Bendita a hora em que você saiu da cozinha e, bem-sucedida, ficou na frente de todos os homens.

E, se você que está lendo isto aqui for um homem, tente imaginar a sua vida sem nenhuma mulher.

Aí na sua casa, onde você trabalha, na rua. Só homens.

Já pensou?

Um casamento sem noiva?

Um mundo sem sogras?

Enfim, um mundo sem metas.

ALGUNS MOTIVOS PELOS QUAIS OS HOMENS GOSTAM TANTO DE MULHERES:

1- O cheirinho delas é sempre gostoso, mesmo que seja só xampu.

2- O jeitinho que elas têm de sempre encontrar o lugarzinho certo em nosso ombro, nosso peito.

3- A facilidade com a qual cabem em nossos braços.

4- O jeito que tem de nos beijar e, de repente, fazer o mundo ficar perfeito.

5- Como são encantadoras quando comem.

6- Elas levam horas para se vestir, mas no final vale a pena.

7- Porque estão sempre quentinhas, mesmo que esteja fazendo trinta graus abaixo de zero lá fora.

8- Como sempre ficam bonitas, mesmo de jeans com camiseta e rabo-de-cavalo.

9- Aquele jeitinho sutil de pedir um elogio.

10- O modo que tem de sempre encontrar a nossa mão.

11- O brilho nos olhos quando sorriem.

12- O jeito que tem de dizer 'Não vamos brigar mais, não..'

13- A ternura com que nos beijam quando lhes fazemos uma delicadeza.

14- O modo de nos beijarem quando dizemos 'eu te amo'.

15- Pensando bem, só o modo de nos beijarem já basta.

16- O modo que têm de se atirar em nossos braços quando choram.

17- O fato de nos darem um tapa achando que vai doer.

18- O jeitinho de dizerem 'estou com saudades'.

19- As saudades que sentimos delas.

20- A maneira que suas lágrimas tem de nos fazer querer mudar o mundo para que mais nada lhes cause dor.

Excelente texto né?

Bom domingo e boa semana ;)

bjs

domingo, 15 de novembro de 2009

O sentido da vida

Olá,

em toda aula de português na faculdade, meu prof leva vários textos p/ gnt, dependendo do ponto o qual ele vai trabalhar. Semana passada ele levou um texto de Luiz Fernando Emediato (O Estado de S. Paulo), que é um jornalista e escritor premiado, o texto se chama "O Sentido da vida", e o tom filosófico além da genialidade do texto, me chamaram atenção suficiente para hoje estar postando-o.


O Sentido da Vida

Perguntas demais,
respostas de menos. Uma luz
no fim da escuridão?

O sentido da vida é nascer, crescer, envelhecer e morrer, deixando sob a terra
este antigo corpo constituído da solitária e silenciosa matéria de que foram feitas as estrelas e seus filhos, e os filhos de seus filhos, ou não?

Sim, é este o sentido da vida, ou não.

O sentido da vida é descobrir alegre ou amargamente a consciência das coisas, da alegria e da dor, da tristeza e do tédio, e então alegrar-se ou entristecer-se, corada ou pálida personagem de uma peça absurda, uma tragédia, comédia, ópera bufa, ou não?

Sim, o sentido da vida é este – ou não.

Será o sentido da vida amar e odiar seu irmão, em silêncio ou aos gritos, perdoar, ser perdoado, caminhar com firmeza ou vacilante sobre o abismo, cair e erguer-se, ou não?

Sim, é este o sentido da vida, ou não.

Será porventura o sentido da vida caminhar juntos sobre a mesma velha e generosa e solitária terra, dividir angústias e dor, enredar-se no cipoal das palavras, dizer sim, ser entendido não, dizer não, ser entendido sim, ou não?
Sim, o sentido da vida é este. Ou não.

Será o sentido da vida buscar luz nas sombras ou sombras na luz, consumir dias e noites a trilhar o áspero caminho imperfeito, buscar o caminho reto, a verdade, e descobrir então o caminho torto, a estrada estreita e, no fim da estrada, apenas neblina, mistério, horror, escuridão?

Sim, o sentido da vida é bem este, ou não.

Será, meu Deus, o sentido da vida acreditar em Deus ou alguma coisa superior à capacidade de entender, cair de joelhos e em prantos pedir caridade ou outro vago sentimento qualquer, e nada ouvir em resposta, ou sim, ouvir então uma voz silenciosa, inexistente e fria e, então, chorar, dormir, sonhar, tudo em vão?
Sim, o sentido da vida é bem este – ou não.

Será o sentido da vida crer na dourada utopia, descobrir então a insustentável fragilidade dos seres, o poder, a miséria, o horror da humana e frágil condição?
Sim, é bem este, ou não, o sentido da vida. Ou não?

Estará o sentido da vida em sonhar o sonho impossível, alcançar a estrela inatingível, vencer o inimigo imbatível, tocar a realidade intangível, e encontrar nada mais que pesadelo, o nada, a queda, a fantasia, miragens, ou não?
Sim, é bem este o sentido da vida, ou não.

Será o sentido da vida entregar-se apaixonadamente às ideias de grande extensão, consumir-se como o fogo e ver apagar-se a chama, a pedra virar pó, a brasa virar carvão? Será, criaturas, o sentido da vida consumir o sangue das veias, esgotar a serenidade, despentear os cabelos, perseguir a ilusão?
Sim, é bem este o sentido da vida, ou não.

Porque se existe sol também existe a lua, e a noite pode ser tão clara às vezes quanto o mais claro dos dias, ou não; mas se há perguntas demais e respostas de menos sempre haverá a busca, a esperança, a viva luz no fim da escuridão.
Porque é isto – buscar – o sentido da vida. Ou não.

-> Eu confesso que me apaixonei por esse texto. Ele é simples, e usando apenas 2 palavras, o "ou não", ele dá um tom totalmente diferente ao texto. Do mesmo modo que ele afirma perguntando e nega perguntando no final da frase, ele responde afirmando dizendo que "sim, é bem este o sentido da vida", como se tivesse certeza, mas depois ele vê que ainda se encontra na dúvida e incerto e acrescenta o "ou não" novamente, criando a possibilidade de outras respostas que justifiquem o sentido disso tudo.
Ele termina o texto filosofando mais um pouco usando a lógica ("se existe o sol também existe a lua")e trazendo algo comum a todos nós: a eterna busca.

Espero que vocês tenham gostado do texto também. Ou não. hahahaha

Vou finalizar o post com mais 2 vídeos que recebi por email =D

Professor estressado:
video

um gesto vale mais do que mil palavras...

Como calar os alunos:
video

simples e eficaz haahha

Boa semana people ;)

bjokinhas

domingo, 8 de novembro de 2009

Bastardos Inglórios

Olá,

depois de um tempinho sem ir ao cinema, ontem eu finalmente consegui ir ver "Bastardos Inglórios" do Tarantino, e gostei muito!



Sinopse: No primeiro ano da ocupação da França pela Alemanha, Shosanna Dreyfus
testemunha a execução de sua família pelas mãos do coronel nazista Hans Landa.
Shosanna escapa por pouco e parte para Paris, onde assume uma identidade falsa e se torna proprietária de um cinema. Em outro lugar da Europa, o tenente Aldo Raine (Pitt) organiza um grupo de soldados americanos judeus para praticarem atos violentos de vingança. Posteriormente chamados pelo inimigo de “os Bastardos”, o esquadrão de Raine se une à atriz alemã Bridget von Hammersmark (Kruger) em uma missão para derrubar os líderes do Terceiro Reich. O destino conspira para que os caminhos de todos se cruzem em um cinema, onde Shosanna pretende colocar em prática seu próprio plano de vingança...

-> O sotaque e as expressões do Brad Pitt estavam impagáveis, excelente! Fora que o filme é do Tarantino, ou seja, humor inteligente e diálogos brilhantes estão presentes o tempo todo. Além da trilha sonora irreverente e o filme ser cortado em "capítulos", dando uma dinâmia peculiar [típica de Tarantino] ao filme. As "carnificinas" também estão presentes no filme, mas nada da linha "Jogos Mortais"...
Enfim, recomendo o filme ;D Divertido e inteligente.

Dia 20, o tão esperado "Lua Nova" estreia mundialmente, e eu já garanti meu ingresso. Vamos ver se vai valer a pena =)

******************************

Ao escrever um currículo, todos nós nos deparamos com a tão temida pergunta "você tem experiência?" e olha o que uma pessoa muito criativa escreveu.

-> um processo de seleção da Volkswagen, os candidatos deveriam responder a seguinte pergunta:


'Você tem experiência?'

A redação abaixo foi desenvolvida por um dos candidatos:


REDAÇÃO VENCEDORA

Já fiz cosquinha na minha irmã só pra ela parar de chorar, já me queimei brincando com vela. Eu já fiz bola de chiclete e melequei todo o rosto, já conversei com o espelho, e até já brinquei de ser bruxo.
Já quis ser astronauta, violonista, mágico, caçador e trapezista. Já me escondi atrás da cortina e esqueci os pés pra fora. Já passei trote por telefone. Já tomei banho de chuva e acabei me viciando. Já roubei beijo.
Já confundi sentimentos. Peguei atalho errado e continuo andando pelo desconhecido. Já raspei o fundo da panela de arroz carreteiro, já me cortei fazendo a barba apressado,já chorei ouvindo música no ônibus. Já tentei esquecer algumas pessoas, mas descobri que essas são as mais difíceis de se esquecer. Já subi escondido no telhado pra tentar pegar estrelas, já subi em
árvore pra roubar fruta, já caí da escada de bunda.
Já fiz juras eternas, já escrevi no muro da escola, já chorei sentado no chão do banheiro, já fugi de casa pra sempre, e voltei no outro instante.
Já corri pra não deixar alguém chorando, já fiquei sozinho no meio de mil pessoas sentindo falta de uma só. Já vi pôr-do-sol cor-de-rosa e alaranjado, já me joguei na piscina sem vontade de voltar, já bebi uísque até sentir dormentes os meus lábios, já olhei a cidade de cima e mesmo assim não encontrei meu lugar.
Já senti medo do escuro, já tremi de nervoso, já quase morri de amor, mas renasci novamente pra ver o sorriso de alguém especial. Já acordei no meio da noite e fiquei com medo de levantar. Já apostei em correr descalço na rua, já gritei de felicidade, já roubei rosas num enorme jardim. Já me apaixonei e achei que era para sempre, mas sempre era um 'para sempre' pela metade.
Já deitei na grama de madrugada e vi a Lua virar Sol, já chorei por ver amigos partindo, mas descobri que logo chegam novos, e a vida é mesmo um ir e vir sem razão. Foram tantas coisas feitas, momentos fotografados pelas lentes da emoção, guardados num baú, chamado coração.
E agora um formulário me interroga, me encosta na parede e grita:
'Qual sua experiência?'.
Essa pergunta ecoa no meu cérebro: experiência... experiência...
Será que ser 'plantador de sorrisos' é uma boa experiência?
Não! Talvez eles não saibam ainda colher sonhos!
Agora gostaria de indagar uma pequena coisa para quem formulou esta pergunta:
'Experiência? Quem a tem, se a todo momento tudo se renova?'

Achei genial! De fato, experiência é algo muito relativo, e ele usou isso brilhantemente a favor dele. Só por uma resposta dessa, mesmo ñ tendo experiência necessária p/ cargo, o cara mostrou que é capaz por sua sagacidade. Eu o contrataria também...

*********************

Agora, mais um email genial que eu recebi sobre a vingança dos animamis hahaha


[os pombos do santa isabel COM CERTEZA leram esse livro hahaha]



o lugar p/ por as moedinhas poderia ter sido pior...



hauihaiauhauiahauiah



Amei a irônia dessa...



Se fosse um peixe recheando seria o chamado "pacú assado" xD [tá, foi péssima essa] haahhaha

E p/ finalizar, uma curiosidade...

"Em média, as pessoas consome 35 toneladas de comida durante a vida".

-> Imagina quantas toneladas de merda então? xD

Até a próxima people,

xoxo